Concecte-se ao Facebook Racecross Concecte-se ao Twitter Racecross Concecte-se ao Linkedin Racecross Concecte-se ao Google+ Plus Racecross Concecte-se ao Canal Youtube Racecross
Do Regional ao Mundial, Um giro pelo mundo do Motocross
Conteúdo por Vinícius Schwamberger | quarta-feira, 10 de setembro de 2014 | Categoria Mundial








Olá, a partir de hoje começo uma nova coluna aqui no site, é com grande prazer e muita felicidade que aceitei o convite de escrever sobre Mundial de Motocross, AMA Motocross e Supercross, Motocross das Nações e outras “surpresinhas” que virão ao longo dos meus textos.


Primeiro gostaria de me apresentar, meu nome é Vinícius Schwamberger, sou natural de Brusque – SC, Químico e acima de tudo fã de Motocross e Supercross. Tudo começou quando eu tinha 5 anos, fui com meus pais assistir uma corrida do Campeonato Catarinense na famosa e extinta pista do Paquetá, aqui em Brusque, não me lembro muito bem dos pilotos que corriam, mas na minha memória tenho muitas imagens das corridas, dos saltos, mas principalmente de dois irmãos, dois irmãos que deram (e ainda dão) show, quem será?


Milton Chumbinho Becker e Elton Becker, lembro também do número das motos que eles usavam #1 e #2, foi incrível. Daí em diante meu pai me levou para conhecer Canelinha e cada vez mais toda a família Schwamberger começou a se envolver com Motocross, Cross Country, Velocross, organizando provas estaduais ou regionais na região de Brusque.


Chega de histórias e vamos ao que interessa, primeiramente com o Mundial de Motocross Junior que foi realizado no início do mês de agosto na pista de Liermeux na Bélgica.


Quatro pilotos Brasileiros foram para a edição deste ano: Enzo Lopes, Renato Paz (Muguinho), Ramyller Alves e o catarinense Thiago Brenner, dos quatro pilotos somente Muguinho conseguiu se classificar de forma direta para as finais da classe 85cc, ele terminou na 25ª colocação no geral.


Ramyller e Enzo competiram na classe 125cc, os dois não classificaram de forma direta para as finais, Ramyller conseguiu a primeira vaga de piloto reserva e com o abandono de um finalista conseguiu alinhar para disputar as 2 baterias finais, porém uma queda na segunda volta o tirou das disputas.

mundialjr


 




Time Brasileiro: Ramyller Alves, Thiago Brenner, Enzo Lopes e Renato Paz (Muguinho)
Foto: César Araújo


 


Parabéns aos quatro representantes brasileiros pela participação, já é uma vitória só pelo fato de conseguir sair desse nosso país para disputar uma etapa de um Mundial de Motocross.


Ainda na categoria 125cc uma grata surpresa: o piloto Venezuelano Lorenzo Locurcio, pilotando uma Yamaha conseguiu a 2ª colocação no geral da categoria. Será que ele vai seguir os passos de outros Pilotos Sul-Americanos e vai correr no Brasil em breve? Será que ele vai correr nos EUA? Na Europa? No Mundial?


Parabéns aos quatro representantes brasileiros pela participação, já é uma vitória só pelo fato de conseguir sair desse nosso país para disputar uma etapa de um Mundial de Motocross.


Saindo da Bélgica e indo direto para os Estados Unidos onde no Sábado (23/08) foi realizada a última etapa do AMA Motocross 2014, na pista de Tooele em Utah.

ken



Gratas surpresas surgiram nesse ano no AMA Motocross, a principal delas foi o Alemão Ken Roczen, que em seu primeiro ano na 450cc á superou alguns dos melhores do Mundo, como Ryan Dungey, James (Bubba) Stewart, Trey Canard, Chad Reed entre outros.

Também não posso deixar de falar da sensação Ryan Villopoto #1 que venceu o AMA Supercross desse ano, ficou fora do campeonato de MX para se recuperar de uma lesão no joelho, mas Villopoto mesmo fora das pistas é notícia no Mundo do MX, está mais difícil acertar o futuro dele do que os números de alguma loteria, as especulações giram em torno de “três futuros” para o piloto da Kawasaki, há quem diga que ele vai se aposentar, outros já dizem que ele irá competir o Mundial de MX 2015 e os mais calmos afirmam que ele continua correndo nos EUA pela equipe Monster Energy Kawasaki, as apostas estão abertas, comente o que você acha que Villopoto irá fazer no ano que vem.
pistaama


 

Pista da última etapa do AMA MX 2014. Foto: Simon Cudby


 


Após a disputa de doze etapas das classes 250cc e 450cc os três primeiros de cada classe foram:


Classe 250cc


Jeremy Martin #19 – 500 Pontos


Blake Bagett #4 – 421 Pontos


Cooper Webb #37 – 419 Pontos

jeremy

Jeremy Martin, campeão da 250cc. Foto: Simon Cudby.


 


Classe 450cc


Ken Roczen #94 – 532 Pontos


Ryan Dungey #5 – 519 Pontos


Trey Canard #41 – 468 Pontos




 




Também na última etapa do AMA MX 2014 foram apresentados oficialmente os pilotos, motos e uniformes do Team USA para o Motocross das Nações 2014 que acontece nos dias 27 e 28 de setembro na pista de Kegums na Letônia.
EquipeEua




 




Ryan Dungey #4, Jeremy Martin #5 e Eli Tomac #6, são os pilotos dos Estados Unidos para o MXoN 2014.


Na minha opinião a equipe dos EUA é a favorita para o nações desse ano, já que Holanda está sem Jeffrey Herlings que quebrou a perna e a Bélgica que está sem Clemment Desalle, com um osso da mão quebrado.


Por outro lado também temos que ficar de olho no Team da França que convocou os pilotos: Gautier Paulin, Steven Frossard e Dylan Ferrandis.


E é claro, não posso deixar passar em branco o time da Itália, que tem como principal piloto o Expresso #222, Antônio Cairolli, mas se você acha que a MXGP já é dele nesse ano, não se engane, Tony Cairolli optou por correr na classe MX2 no MXoN 2014 pelo fato de ser o mais leve e pequeno da equipe e por correr o Mundial com uma KTM 350cc, o que geraria uma mudança menos brusca sair de uma moto 350cc para uma 250cc do que de uma 450cc para correr com uma 250cc. O time da Itália além de Cairoli ainda tem David Philippaerts e David Guarnieri.


Outros países com pilotos também considerados favoritos já divulgaram seus times para a edição desse ano:


Holanda: Ceriel Klein Kromhof, Glenn Coldenhoff e Marc De Reuver.


Bélgica: Kevin Strijbos, Jeremy Van Horebeek e Julien Lieber.


Grã-Bretanha: Tommy Searle,  Dean Wilson e Shaun Simpson.


 

E por último mas não menos importante uma das surpresas que citei lá no início, darei minha opinião como espectador sobre o que achei dos pontos altos

 



e baixos da 3ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross 2014 que foi realizado em Canelinha – SC nos dias 16 e 17 de agosto.
canelioinhapamno





Vista panorâmica da reta de chegada, reta de largada e o famoso salto da chaminé. Foto: Vinícius Schwamberger/Motocross Brusque.


 


Pontos altos da etapa: Pista está bem tratada, gradeada, saltos foram reformados, estrutura externa boa, boxes organizados, banheiros bem cuidados (pelo menos os que eu utilizei), sistema de som bom, mesma com a lama na pista as máquinas conseguiram retirar boa parte dela e arrumar a pista para boas disputas, a transmissão ao-vivo pela internet, muitos elogiaram.


 mx3lama



 



Pista com muita lama durante o treino da categoria MX3, a primeira categoria a treinar na parte da manhã. Foto: Vinícius Schwamberger/Motocross Brusque.


 

Pontos baixos da etapa: Poucos pilotos participantes, locutor e sinalizadores (bandeirinhas) perdidos durante as baterias, capim e lama nos acessos para as arquibancadas e para os boxes, a ausência do Espanhol Carlos Campano e do Brasileiro Marcello Lima (Ratinho), ambos machucados.

largadacanelinha




 



Largada da segunda bateria da categoria MX1, somente com 11 pilotos. Fotos: Vinícius Schwamberger/ Motocross Brusque.


 Na minha opinião, no geral a etapa foi muito boa, tiveram belas disputas e belas baterias, a pista ficou muito boa na parte da tarde de domingo, com a retirada da lama na reta de largada, em algumas curvas e entradas de saltos, mas sempre fica aquele “gostinho azedo” do tipo: “se não tivesse chovido teria sido muito bom!”. Tomara que no ano que vem Canelinha esteja de volta ao calendário do Brasileiro de Motocross.

lamaescavadeira

 

 

Escavadeiras retirando a lama na reta de largada. Foto: Vinícius Schwamberger/Motocross Brusque.

jetrro

 

Jetro Salazar foi o grande vencedor da MX1 na etapa, assumindo também a liderança do Campeonato Brasileiro. Foto: Vinícius Schwamberger/ Motocross Brusque.


Por hoje é só pessoal, ainda estou aprendendo nesse novo desafio de escrever aqui no site, espero que tenham gostado. Aproveito para agradecer você por ter lido minha primeira coluna aqui no site, quero pedir para que se tenham sugestões que me enviem via comentários aqui no site ou pelo meu facebook mesmo, quero agradecer também o Tiago/Racecross pelo convite e confiança.


Curtam e compartilhem Racecross e Motocross Brusque no face.


 

Valeu pessoal, até a próxima se Deus quiser!


Abraço.



 


 


 



 





Conteúdo e Administração do site: Tiago José Wolff | Desenvolvido por Redwave Anderson S. Silva